Projeto “Justiça!”

Na mitologia greco-romana, Θέμις, Δίκη e Ivstitia representavam a Justiça em sua forma mais pura, como equilíbrio, igualdade e ordem social. Essas imagens arquetípicas da Justiça evoluíram mesmo na antiguidade: os símbolos da balança (equilíbrio e igualdade), dos olhos vendados (imparcialidade) e da espada (ordem social) foram surgindo à medida que se desenvolvia um “ideal” de Justiça.

A pós-modernidade propõe o desafio de encontrar novos símbolos para a ideia de uma “justiça”, muito mais complexa e relativizada. Se existe uma justiça para todos, existe uma justiça para cada um – e isso sugere contradições, perplexidades, questionamentos, sobre os quais se debruçam os estudiosos, filósofos, sociólogos e juristas.

Nessa série de trabalhos, o que se propõe é o abandono discurso formal e acadêmico, para explorar a justiça na sociedade pós-moderna a partir de um olhar artístico, simbólico, sensorial.

Galeria - JustiçaA partir da imagem tradicional da deusa da justiça, porém despida da balança (símbolo do equilíbrio e da harmonia) e da espada (símbolo do poder), desenvolve-se a recomposição simbólica pela interferência pictórica, figurativa ou abstrata, para capturar o significado da “justiça”, quer como idealização arquetípica ou impressão subjetiva, quer como visão crítica da realidade social, em todos os seus aspectos.

Numa proposta mais avançada do projeto, para além da interferência do artista, propõe-se a interferência do público, que passa de mero espectador a partícipe de uma obra coletiva, buscando captar na pluralidade das expressões a complexidade da visão e do sentimento social sobre justiça, como ideal ou realidade.

É um convite para refletir com o espírito, investigar com o coração, experimentar com a alma as inquietações contemporâneas sobre um ideal que permanece, mas que se apresenta sob outros ângulos e novas perspectivas – e permitir ao espectador confrontar- se com as várias concepções de justiça e, nesse processo, encontrar-se com seus próprios valores.

 

Share This: